Canepa Flash Nº 8: A dura vida do novo Presidente do BC – a queda rápida da SELIC é tão óbvia assim?.

Canepa Flash Nº 8: A dura vida do novo Presidente do BC – a queda rápida da SELIC é tão óbvia assim?.


Caros amigos da Canepa Asset,

 

Nasce o Governo Temer. Tempo de recuperar a credibilidade perdida nas políticas fiscal e monetária.  No caso do Banco Central, urge a demanda de restabelecer as bases do sistema de metas de inflação. A identidade óbvia: Centro da Meta = 4,5% = Meta a ser perseguida foi normalmente negada equipe do BC que está saindo. Pior do que o IPCA ter flutuado sempre ao redor de 6,5% ao ano (banda superior) entre 2011 e 2016 (com 10,7% em 2015), mesmo com um crescimento econômico pífio no período, foi a mensagem sempre repetida por eles (Presidente da República, Ministro da Fazenda e Presidente do BC), de que “a meta foi sempre cumprida”.

 

A situação da nova autoridade monetária é delicada. Ao mesmo tempo, a árdua missão inicial de restabelecer a confiança na política monetária, enfrentando um ambiente de inércia alta de inflação e expectativas deterioradas de IPCA (7% para 2016 e 5,6% para 2017); do outro, uma economia quase em depressão (PIB acumulando queda de 7,5% nos últimos dois anos), indicadores de confiança em patamares historicamente baixos e necessidade da construção de trunfos para a negociação política acerca do nosso principal problema, o urgente ajuste fiscal.

 

Para complicar, o mercado está precificando no mercado futuro de DI uma flexibilização da política monetária que pode levar a taxa SELIC a 12,5% ao final de 2016.

 

Em nossa opinião, esse movimento está longe de ser óbvio, depende fortemente de algumas variáveis  e pode decepcionar o mercado.

 

Leia o Relatório Completo