Abrir ou não abrir o capital, eis a questão – Capital Aberto

Abrir ou não abrir o capital, eis a questão – Capital Aberto


A história do mercado de capitais brasileiro começa com a chegada da família real portuguesa ao Brasil, em razão da invasão francesa a Portugal comandada por Napoleão Bonaparte. Assim de sua chegada, Dom João VI estabeleceu como um dos primeiros objetivos a fundação de um banco para a nova metrópole: o Banco do Brasil –  o que viria a se tornar a primeira (e com o mais longo prazo de captação) abertura de capital no país.

 

Desde então, o esforço para a criação de um mercado de capitais forte tem atravessado séculos. Porém, as últimas décadas não têm se mostrado alentadoras nessa direção. Entre 1990 e 2017, o número de empresas listadas em bolsa caiu assustadoramente de 544 para apenas 344.  Houve períodos de “voos de galinha”, como a fase 2005-2007, quando cerca de 100 empresas lançaram ações ao público.  Agora em 2017, após alguns anos, ressurge, ainda que timidamente, uma nova onda de aberturas de capital na Bovespa.

 

LEIA AQUI O ARTIGO COMPLETO